Que Deus me permita amar sem julgar

Ó Pai, Vós que sois Deus, Buda, Oshalá, Christian, Alá, Zeus, Universo… Vós que também sois mulher, Shiva, Lakshmi, Sarasvati, Sáti, Parvati, Durga, Kali, Senhora Mãe Divina… Vós que sois a diversidade e o amor acima de todas as coisas.

Me guie e me preencha a cada dia com a sua essência e me permita mostrar às pessoas que me rodeiam que sou uma extensão do seu amor, assim como é o meu próximo – faça de mim instrumento de vossa paz.

Permita-me desfrutar, sem julgamentos, do seu maior ensinamento – amar ao próximo como eu vos amei. – Sem distinção gênero, transgênero, orientação sexual, credo, cor ou classe social e muito menos distinção de intensidade, profundidade e formas de amar. Partindo esse amor de mim ou do outro.

Permita ao meu próximo receber meu amor e senti-lo em seu estado puro e natural, que esse amor seja a ponte que nos une e passe sobre o abismo dos pré-julgamentos que nos separam.
Pois só posso ser feliz sendo quem realmente sou, feita à Sua imagem e semelhança, dentro da Sua diversidade, porque todos somos um.

Paula em 02/06/2020 no grupo da Ponta de Lança: o grupo de curadores da Sangha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s